Um passo importante foi dado nesta quinta-feira em Santa Catarina para o monitoramento da estiagem na região Oeste. A Secretaria de Estado da Defesa Civil descentralizou recursos para a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina – Fapesc e Universidade do Estado de Santa Catarina – Udesc. Os valores chegam a R$ 306 mil e deverão ser usados na elaboração de um Plano Diretor da estiagem.defesa civil

O objetivo do Estado é ter um diagnóstico georeferenciado da evolução dos fatores condicionantes da seca e da estiagem no Oeste. Entre as ações, estão a conscientização da população sobre o cenário e implantação de estratégias de gestão hídrica.

O estudo na região vai abranger 118 municípios. São cidades das microrregiões de São Miguel do Oeste (21), Chapecó (38), Xanxerê (17), Concórdia (15) e Joaçaba (27). O Plano de Trabalho foi assinado nesta quinta-feira, 3, entre o Secretário de Estado da Defesa Civil de Santa Catarina, Milton Hobus, o Pró- Reitor de Extensão, Cultura e Comunidade da Udesc, Mayco Morais Nunes, e represantantes da Fapesc.

O volume de decretos de situação de emergência devido à estiagem no Estado mostra a importância do projeto. Entre os anos de 2002 e 2012, foram 1003 registros. Somente em 2006, foram 194 decretos por causa da falta de chuva, muitas vezes ocasionadas por bloqueios atmosféricos, que atingem a região Oeste de Santa Catarina.

“Precisamos estar prontos para atender esses municípios, que sofrem com a estiagem. O Plano Diretor que será desenvolvido vai ajudar nas ações de defesa civil, em Santa Catarina”, finalizou Hobus.

O cronograma prevê para o mês de agosto, um diagnóstico-piloto, que contempla a distribuição dos recursos hídricos superficiais e subterrâneos, caracterizações climáticas da região, da natureza do solo, ocupação das terras e evolução das demandas e gastos de água. Também será feito um mapa representativo do estudo, com um relatório sintetizado.

De setembro de 2014 a janeiro de 2015, será feito o aprofundamento da pesquisa. Depois, entre os meses de fevereiro e abril do ano que vem, será desenvolvida a resiliência das cidades abrangidas pelo estudo. O período será de conclusão dos trabalhos.

Entre as ações, a Fapesc fica responsável por receber os recursos, disponibilizar verba necessária para coordenação e execução do projeto e controlar o andamento dos trabalhos. A Udesc fica responsável pela infraestrutura necessárias para o desenvolvimento do Plano Diretor da estiagem. A Defesa Civil do Estado também tem papel importante, além da liberação de recursos. Será responsável pela aprovação do Plano de Trabalho e controle do estudo.

Fonte: Governo do Estado de Santa Catarina

VEJA TAMBÉM: