Santa Catarina é o Estado com a menor taxa de homicídios no país (um dos principais medidores de violência pelo mundo), registrando 12,8 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes, de acordo com o“Mapa da Violência 2014. Os Jovens do Brasil” – elaborado com dados referentes a 2012. Esta taxa é menor que a média nacional, de 29 homicídios para cada 100 mil habitantes, conforme este estudo.logo sc

De acordo com o secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, o quadro geral em Santa Catarina apresenta números bem distanciados da realidade nacional, o que tem colocado nosso Estado em permanente condição de destaque. “Desde o início do Governo Raimundo Colombo e até a presente data, temos nos preservado no final da tabela, com o melhor índice dentre os estados da federação”, destaca o titular da SSP.

Para o secretário, a taxa média de resolutividade da nossa polícia nos crimes violentos (principalmente homicídio e latrocínio) também é um bom indicador, e certamente reflete diretamente nos resultados. Nos homicídios ela é de 62%. Nos casos de latrocínio é de 80%, informa Grubba.

Um dos aspectos para esta redução é a ação eficiente da Polícia Civil na resolução dos casos. “O nosso Estado tem uma média, ao final dos últimos anos, em torno de 65% de resolubilidade dos casos de homicídios, enquanto a média nacional é de 22,28%. Como os autores de assassinatos normalmente não saem impunes, isso acaba sendo um fator relevante para refrear estes delitos”, apontou o Delegado Geral, Aldo Pinheiro D’Ávila.

Em 2011, 151 municípios catarinenses não registraram ocorrência dolosa que resultaram em morte, em 2012 foram 150 e em 2013 foram 142 cidades. As tipificações consideradas para este levantamento não são apenas de homicídios, mas também de latrocínio, confronto com a polícia que resulta em morte, lesão corporal seguida de morte e infanticídio. Em 2014, até 2 de junho, há 194 cidades que não registraram homicídios, o equivalente a 65,76% dos municípios catarinenses.

O Delegado Geral da Polícia Civil ressaltou que há uma forte ligação entre os crimes de homicídio, tráfico de drogas e roubo. Quando repreendemos o tráfico de drogas, o que aconteceu nos últimos anos (veja dados no quadro abaixo), muitos deles acabam praticando roubo. “Estamos atentos e executando operações pontuais, como a Ágata (nas regiões de fronteiras), que dão um resultado significativo na redução da criminalidade, inclusive nos assaltos e furtos”, finalizou D’Ávila.

Apreensão de drogas

Conforme dados da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil, em 2011 houve um aumento de 99,32% nas apreensões de cocaína em relação a 2010; e um aumento de 215% nas apreensões desta mesma droga se comparados os anos de 2011 e 2012.

As apreensões de drogas sintéticas também tiveram um incremento em função das operações policiais. Em relação ao LSD, comparando 2011 com 2010, teve um acréscimo de apreensão de 108,52%; e de 2012 em relação a 2011, enquanto que a quantidade de comprimidos de ecstasy apreendida aumentou 1240,19%, considerando estes dos anos.

Fonte: Governo do Estado de Santa Catarina

VEJA TAMBÉM: